Postagens populares

domingo, 13 de fevereiro de 2011

ATIVIDADES RÍTMICAS E EXPRESSIVAS

ATIVIDADES RÍTMICAS E EXPRESSIVAS


Em princípio, é relevante sublinhar que todas as práticas da cultura corporal de movimento, mais ou menos explicitamente, possuem expressividade e ritmo. Em relação à expressão, essas práticas se constituem em códigos simbólicos, por meio dos quais a vivência individual do ser humano, em interação com os valores e conceitos do ambiente sócio cultural, produz a possibilidade de comunicação por gestos e posturas.
Em relação ao ritmo, desde a respiração até a execução de movimentos mais complexos, se requer um ajuste com referência no espaço e no tempo, envolvendo, portanto, um ritmo ou uma pulsação.
As manifestações da cultura corporal  têm como característica comum a intenção explícita de expressão e comunicação por meio dos gestos na presença de ritmos, sons e da música na construção da expressão corporal. Trata-se especificamente das danças, mímicas e brincadeiras cantadas. Nessas atividades rítmicas e expressivas encontram-se mais subsídios para enriquecer o processo de informação e formação dos códigos corporais de comunicação dos indivíduos e do grupo.
A diversidade cultural que caracteriza o país tem na dança uma de suas expressões mais significativas, constituindo um amplo leque de possibilidades de aprendizagem. Todas as culturas têm algum tipo de manifestação rítmica e expressiva. No Brasil existe uma riqueza muito grande dessas manifestações. Danças trazidas pelos africanos na colonização, danças relativas aos mais diversos rituais, danças que os imigrantes trouxeram em sua bagagem, danças que foram aprendidas com os vizinhos de fronteira, danças que se vêem na midia.
As danças foram e são criadas a todo tempo: inúmeras influências são
incorporadas e as danças transformam-se, multiplicam-se. Algumas preservaram suas
características e pouco se transformaram com o passar do tempo, como os forrós que
 acontecem nas zonas rurais, sob a luz de um lampião, ao som de uma sanfona. Outras
 recebem múltiplas influências, incorporam-nas, transformando-as em novas manifestações,como os forrós do Nordeste, que incorporaram os ritmos caribenhos, resultando na lambada.
Nos centros urbanos existem danças como o funk, o rap, as danças de salão, entre outras, que se caracterizam por acontecerem em festas, clubes, ou mesmo nas praças e ruas. Há também as danças eruditas, como a clássica, a contemporânea, a moderna e o jazz, que podem às vezes ser apreciadas na televisão, em apresentações teatrais, e que são geralmente ensinadas em escolas e academias. Nas cidades do Nordeste e do Norte do país existem danças e coreografias associadas às manifestações musicais, como a Timbalada ou o olodum, por exemplo.
A presença de imigrantes no país também trouxe uma gama significativa de danças das mais diversas culturas. Quando houver acesso a elas, é importante conhecê-las, situá-las, entender o que representam e o que significam para os imigrantes que as praticam.
As brincadeiras de roda e as cirandas também são uma boa fonte
para atividades rítmicas. A pesquisa sobre danças e brincadeiras cantadas de regiões
distantes, com características diferentes das danças e brincadeiras locais, pode tornar o
trabalho mais completo.
Por meio das danças e brincadeiras os alunos poderão conhecer as qualidades do movimento expressivo como leve/pesado, forte/fraco, rápido/lento, fluido/interrompido.
Podem perceber sua intensidade, duração, direção e analisá-lo a partir destes referenciais.Importante também é a percepção de um momento muito especial na dança que é o saber conviver com a sensação de liberdade que acompanha o exercício de criação, assim como também o exercício de conviver com o modelo pronto do desenho coreográfico.
Processos de criação e cópia utilizados de forma inadequada reacendem categoricamente as atitudes corporais estereotipadas. Portanto a possibilidade de harmonizar criação livre e cópia de movimento passa a ser uma atitude sensata de equilíbrio na aplicação dos conteúdos.
Conhecer algumas técnicas de execução de movimentos e utilizar-se delas no exercício de seu potencial comunicativo, ser capaz de improvisar, de construir coreografias, podem contribuir na adoção de atitudes de valorização e apreciação dessas manifestações expressivas.







Conceitos e procedimentos:
Atividades rítmicas e expressivas
. Compreensão dos aspectos histórico-sociais das danças.
. Percepção do ritmo pessoal.
. Percepção do ritmo grupal.
. Desenvolvimento da noção espaço/tempo vinculada ao
estímulo musical e ao silêncio com relação a si mesmo e ao
outro.
. Exploração de gestos e códigos de outros movimentos corporais
não abordados nos outros blocos.
. Compreensão do processo expressivo partindo do código
individual de cada um para o coletivo (mímicas individuais,
representações de cenas do cotidiano em grupo, danças
individuais, pequenos desenhos coreográficos em grupo).
. Percepção dos limites corporais na vivência dos movimentos
rítmicos e expressivos.
. Predisposição a superar seus próprios limites nas vivências
rítmicas e expressivas.
. Vivências das danças folclóricas e regionais, compreendendo
seus contextos de manifestação (carnaval, escola de samba e
seus integrantes, frevo, capoeira, bumba-meu-boi etc.).
. Reconhecimento e apropriação dos princípios básicos para
construção de desenhos coreográficos e coreografias simples.
. Vivência da aplicação dos princípios básicos na construção de
desenhos coreográficos.
. Vivência das manifestações das danças urbanas mais
emergentes e compreensão do seu contexto originário.
. Vivência das danças populares regionais, nacionais e
internacionais e compreensão do contexto sociocultural onde
se desenvolvem.

A dança escolar tem como objetivo principal à formação dos sujeitos, propiciando o conhecimento sobre si, e sobre o outro. Estimula vivências da corporeidade, incentiva a expressividade dos indivíduos, possibilita a comunicação não verbal, proporciona a liberdade de criar, inventar e reinventar, fazendo uso da imaginação e dos diálogos corporais, (Barreto, 2004).



10 comentários:

  1. amoo essa atividade...

    ResponderExcluir
  2. ahhhhh si fude caraio

    ResponderExcluir
  3. Vai Toma no Cu coisa lixo do carai! Bainagem que come Maçã da porra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se vc não quer ajuda então não fica falando palavroes em vez de agradecer

      Excluir
  4. Não sei se vai me ajudar mais espero que sim Obrigada!!

    ResponderExcluir
  5. lalalalalalalalaa uhul \o sou muito linda seus manééééé

    ResponderExcluir
  6. dá meia hora de cú ninguém quer

    ResponderExcluir